Malfuf

28 jun

Embrulhado, ou enrolado seria a tradução literal mais adequada para a palavra que dá nome ao ritmo desta semana. Malfuf, Malfouf, Leff, Luff ou Laff é um ritmo que originário da África, em especial do norte do continente. Muito conhecido no Egito e Líbano, sua cadência é muito parecida com a de ritmos muito ouvidos no Brasil, como o forró ou baião.

Composição
Sua composição é muito simples, trata-se de um 2/4. A frase musical é curta, assim: DUM TAKA TAKA

Mas afinal, se a composição é simples, por que a tradução do nome retoma a ideia de enrolar, embrulhar? Uma das explicações diz que ele é utilizado nas músicas de Melea Laff (dança do lenço enrolado). Outra justificativa: este ritmo é usado para entradas e saídas. Ou seja, ele introduz e finaliza a música e a passagem da bailarina, enquanto o centro da apresentação contém o recheio, ou seja, toda a técnica da dança. Por fim, há outra que faz referência aos famosos (e deliciosos) charutinhos, arroz e carne enroladinhos por repolho ou folhas de uva.

Características
Nas músicas de dança do ventre, pode ser tocado de forma rápida- no Melea Laff- muito acelerada ou lenta, como na dança do candelabro. Em geral, aparece em derbakes e em músicas clássicas. Também é possível encontrá-lo no meio das músicas, marcando a transição dos diferentes trechos melódicos. Apesar de ser usado em danças antigas e de origem folclórica, tal como o Hagalla e o Dabke, o ritmo é encontrado em músicas modernas e coreografadas para grupos.

Como treinar
Como sempre, comece pela frase simples e depois tente acelerar o ritmo.

Dicas de passos
Como já foi dito, o Malfuf aparece com frequência nas aberturas e finalizações de músicas clássicas e durante os derbakes. Por isso, a preferência é que a bailarina opte por fazer deslocamentos, mostrando leveza, agilidade e domínio do espaço. Sua forma acelerada permite fazer passos como passeio no bosque, caminhadas e giros.

Lembre-se: Você pode tocar os DUMs, TAKs e TAs com a sua mão principal (varia para destros ou canhotos) e os e KAs com a outra. Ou então marcar os DUMs com as duas mãos, enfatizando que são mais fortes.

*Faixa do CD Ritmos Arabes Volumen 1, Mario Kirlis.

Veja + Ritmos
Maksoum
Bolero
Baladi
Ayub
Said

12 Respostas to “Malfuf”

  1. Hanna Aisha agosto 5, 2010 às 10:41 pm #

    Oi
    então, segundo a bailarina Samra Sanches, os músicos hoje em dia preferem utilizar o termo “laff” porque significa repolho e isso não cai bem dentro da música. Dica para ensinar às alunas!

    • Cadernos de dança do ventre agosto 6, 2010 às 5:47 pm #

      Oi, Hanna!
      Que legal! Valeu a dica! Deixamos todos os nomes justamente por causa disso: algumas pessoas nomeiam os ritmos de forma diferente!
      E aí, tem alguma preferência de ritmo?
      Volte sempre! A gente adora receber comentários, indicações, sugestões…=)
      Um super beijo

Trackbacks/Pingbacks

  1. Bolero « Cadernos de Dança - julho 5, 2010

    […] Malfuf Ayub Baladi Said […]

  2. Dança com pandeiro « Cadernos de Dança - julho 14, 2010

    […] ele não combina com músicas lentas e taqsins. Escolha um Said, Falahi (em breve no Cadernos) e Malfuf. A roupa é de preferência vestidos, como na dança da bengala, e cinturões com moedas, muitas […]

  3. Wahda wa noz « Cadernos de Dança - agosto 16, 2010

    […] + Ritmos Chiftetelli Falahi Masmoudi Jerk Maksoum Bolero Malfuf Baladi Ayub […]

  4. Candelabro « Cadernos de Dança - agosto 18, 2010

    […] é muito comum as bailarinas utilizarem um véu sobre a cabeça, embaixo do candelabro. Zaffe ou Malfuf são os ritmos mais usados nestas apresentações, mas também é possível encontrar com Baladi, […]

  5. Soudi « Cadernos de Dança - agosto 23, 2010

    […] + Ritmos Wahda wa noz Chiftetelli Falahi Masmoudi Jerk Maksoum Bolero Malfuf Baladi Ayub […]

  6. Karachi « Cadernos de Dança - setembro 20, 2010

    […] set Lembram-se do ritmo Ayub, marcado pela repetição do DUM KA DUM KA DUM? E do Malfuf, DUM TAKA TAKA DUM TAKA TAKA, muito usado com deslocamentos pelas bailarinas de dança do ventre? […]

  7. Retrospectiva: Ritmos « Cadernos de Dança - janeiro 2, 2011

    […] porque no início até que foi tranquilo falar dos ritmos mais estudados como saidi, baladi, ayub, malfuf, maksoum, falahi, soudi e sombati. Mas confessamos que foi um imenso desafio quando nomes estranhos […]

  8. Como montar uma coreografia de clássico? « Cadernos de Dança - fevereiro 9, 2011

    […] utilizados. Saidi, por exemplo, chama batidas de quadril fortes e acentuadas, básico egípcio. O Malfuf, por sua vez, pede passos de deslocamento rápido, como caminhadinhas e passeio no bosque. Depois, […]

  9. Uma breve história do dabke « Cadernos de Dança - março 9, 2011

    […] uma marcação de ritmo (Said e Malfuf são os mais comuns) com passos para frente e para trás, pulinhos, chutes, saltos e agachamentos. […]

  10. Andaluz « Cadernos de Dança - março 30, 2011

    […] ritmo que teria originado o andaluz seria o malfuf, mas é comum encontrar músicas com o masmoudi e samaai. Mahmoud Reda ficou muito conhecido com a […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: