Tag Archives: Soraya

Estilo egípcio

2 maio

Apesar do enorme movimento da dança do ventre pelo mundo, invadindo as Américas e demais regiões com força, o Egito ainda hoje é um centro que concentra grandes mestres da dança. Não é para menos, afinal o país está na origem da dança e foi o berço de muitas bailarinas. Como reflexo, o chamado “estilo egípcio” é uma referência para as brasileiras, mesmo que não seja a única inspiração.

O primeiro detalhe que chama atenção é a interpretação. É raro encontrar uma bailarina egípcia com este ponto fraco. Normalmente elas sofrem e ficam alegres de acordo com letra e melodia da canção – o que pode até ficar caricato para alguns. Acima, você pode assistir ao vídeo de Dina, em que este é um traço muito característico.

Isto tudo enquadra movimentos pequenos, mas bem marcados de quadril, poucos deslocamentos e uma técnica de tremidinhos bastante caprichada. Como o quadril ganha destaque, braços e mãos ficam mais delicados e sutis. Em geral, possuem uma dissociação corporal apurada e uso de contrações musculares secas para gerar movimentos pequenos e intensos. Na música, costumam acompanhar mais o ritmo do que a melodia, sendo que os folclóricos, como o Saidi, são mais comuns. Na videoteca da última semana, você pode conferir os movimentos de Fifi Abdo, típicos do estilo egípcio, mas com todo um toque da bailarina.

Por fim, há elementos básicos da dança do ventre atual que foram incorporados por egípcias como Badia Masabni. Por causa dela temos hoje instrumentos clássicos e populares combinados, ritmos misturados e a composição musical diferenciada. No palco, ela também é responsável pelos saltinhos e pelos véus.

Deixando a teoria de lado, podemos estudar tudo isso na prática assistindo uma série de bailarinas. As já conhecidíssimas Samia Gamal, Tahia Carioca, Lucy e Naima Akef, de uma primeira geração, carregam alguns destes elementos. Azza Sharif, Fifi Abdo entre outras vieram em seguida. Para quem prefere os mais modernos, pode atacar de Randa Kamel e Dina. A brasileira Soraya é uma das que optou por seguir carreira por lá mesmo.

Veja +
O estilo libanês

Raqia Hassan

4 nov

Quem nunca ouviu falar de Raqia Hassan? Só aqui no blog ela já apareceu em posts sobre Angeles Cayunao, Lulu Sabongi, Samira Hayek, Alika, Souhair Zaki e Soraia Zaied. Não podia ser diferente, afinal, ela é uma das professoras e coreógrafas mais famosas do mundo, além de produzir o “Ahlan wa Sahlan, festival de dança do ventre do Cairo, que começou com 120 participantes e atualmente cresceu mais de dez vezes e conta com a participação de profissionais de 50 países.
Foi professora de bailarinas renomadas como Randa Kamel, Dina, Mona el Said, Azza Sharif, Amani, Soraya e outras tantas.

Raqia Hassan participou da Reda Troup, entrando para o corpo de baile aos 16 anos e doze meses depois já fazia solos. Lembra-se desta companhia, criada por Mahamoud Reda e da qual Farida Fahmy fez parte? Durante muitos anos ela dedicou seu trabalho à dança folclórica e, assim como Farida, investe na preservação e ensino do que é chamado de estilo oriental egípcio.

Porém, a sua carreira começou de uma maneira pouco convencional. Ela começou dando aulas, ficou conhecida e aos poucos foi dominando seu espaço como bailarina.

O estilo de Raqia é suave. Quem já participou de seus workshops ou viu os vídeos instrutivos desta bailarina afirma que ela explora técnicas de relaxamento antes de começar a aula. Com isso, ela leva para a sua dança muita leveza.

Costuma usar os braços para descrever a letra das músicas, fazendo gestos que simbolizam o conteúdo. Para ela, a dança está estritamente relacionada com a música: melodia e letra. Possui isolamento das partes do corpo, por isso, trabalha muito ondulações de quadril. Professoras e alunas do mundo todo também relacionam a ela o passo do tremidinho egípcio ou shimi egípcio.

Em suas coreografias, é possível identificar muitos pivôs lentos e andadinhas com redondos e ondulações. Nas marcações, é comum ver soldadinhos, maroto ou batidas para baixo, em desclocamentos para trás ou quando está parada. Ela também costuma combinar twists com leves e baixos chutinhos, dando graciosidade à finalização do passo.

Não se espante com as roupas que ela veste quando ministra aulas. Sempre está de leggings com cores chamativas. O objetivo? Deixar seu corpo evidente para que todos possam enxergar bem os movimentos.

Falando nisso, no mês que vem, Raqia Hassam estará no 11º Fiel, promovido pela escola Luxor. Enquanto ela não chega às terras brasileiras e como é muito difícil encontrar vídeos dela disponíveis, selecionamos uma coreografia de Raqia interpretada pela bailarina Saya para você assistir.

Veja + Bailarinas aqui

%d blogueiros gostam disto: