Tag Archives: seda

Arrasou: Alika Hanan

23 ago

Selecionamos este vídeo para o Arrasou por dois motivos: o primeiro é pela bailarina, claro. Alika Hanan, uma menina de 14 anos, arrasa na sua perfomance junto com a banda de Tony Mouzayek. Tão jovem e com domínio das batidas, suavidade nas ondulações e grande encantamento pelas suas sequências de passos. O segundo motivo é a saia. Sim!!! A saia! Feita por seu mãe, Rose (conhecida como Rose dos véus), a saia é nada menos do que feita de pura seda. Linda, perfeita, de cair o queixo! Uau! Arrasaram!! As duas! Talento de mãe e filha juntos assim no mesmo palco, não é sempre que a gente vê! Parabéns!

Saias para dança do ventre

17 nov

Você já acompanhou aqui no Cadernos algumas informações sobre os modelos de roupas usadas pelas bailarinas. Para escolher uma que combina mais com o seu perfil e estilo, que tal conhecer em mais detalhes os modelos de saias? Em geral, elas são conhecidas pelos nomes dos quatro elementos fundamentais da natureza.

A mais comum é a de MODELO ÁGUA, que possui duas fendas frontais na mesma altura e é godê no quadril. É ideal para quem gosta de explorar a silhueta das pernas. Tome cuidado com os tecidos transparentes. Não é por acaso que muitas bailarinas utilizam duas saias sobrepostas. A duplicação dá um efeito ainda mais bonito, pois o volume dos movimentos aumenta. Ótima para giros.

Outra opção com duas aberturas frontais é a de MODELO TERRA. A diferença, neste caso, é do corte, pois possui cós ou elástico na cintura. Tradicionalmente, pede tecidos sem transparências, como seda, cetim, jersey ou liganete. Por isso, não há necessidade de colocar outra por baixo.


Com fendas laterais, a de MODELO AR também leva os mesmos tipos de tecidos da anterior. O motivo? Geralmente são justas ao corpo, com cós e sem elástico. Delineiam mais as formas da bailarina. Evite aquelas com fendas unilaterais, que ficam muito rentes ao corpo, tirando a liberdade dos passos.

As fendas duplas frontais também são usadas nas de MODELO FOGO, saias compostas por quadrados presos ao cós da saia. O resultado você já conhece: sais volumosas com pontas de tecido de diversos tamanhos. Os tecidos podem ser coloridos, tom sobre tom ou de uma cor só.

A estas quatro bases podem ser colocadas variações. Você pode escolher uma saia bem rodada, godê, que fica linda nos giros. Ou optar com um corte reto, que se mantém igual da cintura até os pés. Outra opção são as franzidas com elástico do quadril aos joelhos. As chamadas SEREIAS ficam soltas e rodadas somente na parte inferior das pernas. Algumas também possuem fendas laterais com detalhes em X.

Escolha aquela que mais combina com o seu estilo de dança. E não se esqueça de ensaiar com ela antes de se apresentar. Além de verificar o tamanho, você se acostuma e evita surpresas desagradáveis.

Veja + Dicas aqui

Cuide bem do seu véu

27 out

Já vimos vários posts aqui no blog a respeito do que fazer com o véu na dança do ventre, em quais danças ele costuma aparecer e alguns vídeos com lindas bailarinas se apresentando com ele. Quase toda amante da dança do ventre possui um e por isso achamos importante falar sobre a preservação do véu.

As dicas abaixo foram cedidas pela Rose, dona do Rose dos Véus Studio de Dança, conhecida mundialmente pelos maravilhosos véus de seda já comprados por bailarinas brasileiras e estrangeiras, como a argentina Saida.

O véu de seda é super delicado, por isso procure lavar o mínimo possível. Assim você evita o desgaste do tecido e também que ele seja rasgado. Na hora de lavar, use SEMPRE água corrente e fria, mas nunca deixe de molho.  Movimente sempre o tecido e não se assuste se o excesso de tinta sair, é normal. Lave até que pare.

Por extrema necessidade, você até pode usar sabão, mas use o de côco líquido ou neutro diluído em água. Não se esqueça de enxaguar totalmente, o sabão esquecido pode estragar o seu véu. Você pode usar gotinhas de amaciante, junto com a água,  só por alguns instantes para deixar o véu macio.

Jamais torça a seda!!! Se precisar, aperte-a, espremendo bem de leve para retirar o excesso de água. Na hora de secar, estenda o véu em uma toalha felpuda e enrole com cuidado como se fosse um rocambole. Não exponha ao sol! Se quiser passar, use o ferro na temperatura ideal para seda e esqueça do vapor. Se a seda não for 100% pura, coloque um tecido por cima.

Algumas bailarinas adoram borrifar perfume no véu. Se puder evite, porque eles contém álcool e junto com os fixadores do perfume, podem manchar o seu véu. Mas se o cheirinho for importante para marcar aquela presença quando passar, a dica é: ao guardar o véu, deixe junto um sabonetinho ou incenso embrulhado dentro de um plástico, próximo ao véu. O efeito é o mesmo.

Outra dica para não rasgar o véu, é evitar dançar com bijouterias com pontas ou rebarbaas de plástico ou ferro nas roupas. Por exemplo: brincos pontudos, anéis com strass, pulseiras, brincos e roupas com muito bordado em pedrarias são um ótimo convite para que seu véu seja rasgado. Se você seguir essas dicas, com certeza seu véu vai durar por muito tempo.

Veja + Dicas aqui

%d blogueiros gostam disto: