Tag Archives: movimento

Fitas

29 set
Você conhece a fita usada na ginástica artística? Talvez você já tenha a visto em movimento nas mãos de um ginasta rítmico. Apesar de rara na dança do ventre, sempre há uma ou outra bailarina que quer inovar, usando-a como um acessório diferente.

Não se sabe ao certo quando elas foram inseridas na dança do ventre, mas é possível estimar que seja da época do início das fusões mais contemporâneas, ou seja, é uma inovação dos últimos anos. No entanto, a fita é um dos elementos utilizados na ginástica rítmica, esporte praticado desde a Primeira Guerra Mundial. Aos poucos, a ginástica incorporou a música e passos de dança e, em 1984, esta modalidade foi reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional e passou a figurar nos Jogos Olímpicos desde então.

As fitas são de cetim ou seda, podem medir até seis metros, como as deste esporte, e são presas a uma varinha de madeira, plástico ou bambu, com aproximadamente 50 cm. Também é chamada de estilete. Na ginástica olímpica a regra diz que devem ter entre quatro e seis centímetros de largura e não podem ter mais de 35g.

Na dança, as fitas são usadas em aberturas de grandes espetáculos de palco, simples ou em dupla. A técnica fundamental é mantê-la em contatnte movimento, criando desenhos no ar. Por exemplo, assim como os véus (tradicional, pói e fan), você pode girá-la em diversas direções, formando círculos e formas diversas. Também pode fazer pequenas ondinhas. Outro efeito legal é a espiral na vertical. Um passo bem bacana de fazer é o pivô, usando a fita para fazer oitos nas laterais do corpo.

As fitas podem ser monocromáticas, em degradê ou no estilo arco-íris, que sempre faz muito sucesso. Para ilustrar, selecionamos um vídeo das alunas do estúdio Meira El Nahid, com a coreografia Sol, apresentada no 2° Fest Ventre Guarujá. Acima, vocês também viram a bailarina Thalita Menezes, apresentando a música Tamil, composta por Mario Kirlis, com fitas e bengala. Nem precisa dizer que é preciso ter muita agilidade, força e coordenação para usar este acessório, não é mesmo?

Véu Fan

4 ago

A dança do ventre pode ser antiga, mas uma de suas características mais interessantes é que sempre se mantém atualizada e em desenvolvimento, incorporando inovações e aspectos de outras danças. O véu fan, também conhecido como véu leque, é um exemplo de acessório que só começou a ser explorado em meados dos anos 2000. Super recente, não?

Não se sabe exatamente quem começou a utilizá-lo na dança do ventre, porém a influência original foi a dança oriental, em especial, a coreana, conhecida como Buchaechum, e Odori, a japonesa. Veja no nosso canal do Youtube uma apresentação da fan dance original dos países do Oriente. Compare como são os movimentos e você notará que na nossa bellydance, um véu de seda, foi adaptado para o leque. Repare também que a fan dance influenciou também o uso dos abanicos, leques enfeitados, na dança do ventre.

O véu pode ter diversos tamanhos, mas, em geral, é de 1,50 x 0,70, de 1,70 x 0,70 ou ainda de 2,0 X 0,70 cm.

Para se dar bem com este acessório você precisa treinar os mesmos aspectos da dança com o véu tradicional: equilíbrio, meia ponta alta, postura e leveza. Mas, não se engane. Você precisa fazer bastante força, para manter o véu fan em constante movimento.

Você pode fazer efeitos de ondas grandes e lentas, pequenas e rápidas, de formas circulares (girando os braços ao lado do corpo ou em cima da cabeça, na horizontal), usá-lo como uma cortina, na vertical, ou como um rio na horizontal. Movimentos feitos com véu comum também podem ser repetidos aqui, com as adaptações necessárias.

Acima, assista a performance da bailarina gaúcha Lili Zahira. Não perca também a linda apresentação de Yallar, que assume a frente do grupo Yallaraks. Inspire-se com os vídeos selecionados e solte a sua imaginação!

Veja + Acessórios de dança
Véu duplo
A dança da espada
Dança com pandeiro
A delicadeza das tacinhas
Dança do jarro
Bengala ou bastão
Os snujs
O véu na dança do ventre

%d blogueiros gostam disto: