Tag Archives: jalilahs

Sombati

4 out
A palavra sombati não deve ser estranha para quem é leitor do Cadernos. Retomando, o sombati é um instrumento de percussão com tamanho intermediário entre o derbake e a dohola. Porém, a palavra também designa um ritmo musical e nós estamos aqui justamente para falar sobre ele.

Assim como outros ritmos, o Sombati é uma variação do Maksoum. Lembra-se dele, considerado o “pai de todos os ritmos”? Apenas relembrando então: a notação gráfica base do Maksoum é DUM TAK (pausa) TAK DUM TAK.


Composição
Tendo a referência do Maksoum é mais fácil compreender a formação do Sombati. Sua forma simples é escrita como DUM TATA DUM TA. Agora compare os dois ritmos e perceba que a diferença essencial está na pausa entre os dois TAKs. Isso significa que o Sombati assume uma forma um pouco mais acentuada do que o Maksoum quando tocado.


Características
Este é um ritmo de compasso de 4/4 e pode ter variações lentas ou rápidas. Em geral, nas versões lentas aparece em taqsims. O músico Vitor Abdu Hiar afirma em seu site que este ritmo representa o trote de um cavalo em marcha. É muito comum encontrá-lo em composições ocidentais, em especial em trilhas sonoras como a música tema do filme Lawrence da Arábia.


Como treinar
A dica, como sempre é começar pelo ritmo puro, que é simples. Ouça bastante faixas do ritmo e, aos poucos, comece a tocar os snujs pelos DUM e só depois insira os TAKs. Esta é, aliás, uma ótima maneira de treinar a passagem do DUM para o TAK.


Dicas de passos
A principal dica aqui para não cometer erros é lembrar das marcações comuns no Maksoum e ir pelo mesmo caminho, lembrando de fazer as adaptações necessárias para manter o ritmo Sombati. Repare que neste ritmo não há pausas.

Faixa do CD Jalilahs Raks Sharki Vol 4.

Veja + Ritmos aqui

Darig

27 set

A origem do ritmo darig (darij) é na região da Pérsia e Turquia, mas foi muito difundido pela Argélia, Marrocos e Tunísia. Por isso, além do darig, encontramos o darig tunesi e o darig samahi.

Características
É comum encontrar este ritmo em músicas que lembram valsas, músicas clássicas como Alf y Leyla, por causa dos seus três DUMs e também na Guedra, que em breve estudaremos aqui no Cadernos.

Como ele pode ser tocado de três maneiras, o jeito mais fácil de diferenciar é acompanhar a localização do DUM.

Composição
O darig é um ritmo 6/4. A sua forma original é simples e começa com um forte DUM.

DUM TAK DUM DUM TA

De forma floreada, ele aparece assim:

DUM TAKATAKATAK TAKATAKA DUM DUM DUM TAK TAKATAKA

Ouça a faixa do Cd Jalilahs Raks Sharki Vol 4 e acompanhe o ritmo e depois ele inserido em uma música.

A versão Samahi, possui somente três DUMs na sua leitura, um a menos do darig puro. Ele fica assim:
DUM TAKATA TAKATA TAKA DUM TAKATA TAKATA TAKA DUM TAKATA TAKATA TAKA.

Lembram do ritmo Samai? Sim, é parecido. O que muda é que o samai é um ritmo 10/8 e o darig samahi, 6/4. Acompanhe a faixa do mesmo cd e ouça o darig samahi.

Na Tunísia, o darig é tocado de uma outra maneira.

DUM TA TA DUM TAKA
Veja abaixo como ele aparece nas músicas.

Como treinar
Pegue seus snujs e bata os DUM com as duas mãos para que ele saia mais forte que os TA e os KA, que podem ser tocados variando de uma mão para outra. Porém, este ritmo não costuma ser tocado pelas bailarinas, logo fica como treino para entender a estrutura e as diferenças entre cada darig.

Se preferir treinar com movimentos de dança do ventre, varie entre batidas fortes e leves.

Dica de passos
Se a sua intenção for dançar este ritmo em músicas clássicas e valsadas, use e abuse de passos clássicos como batidas, toques árabes e até deslocamentos nos DUMs.

Você pode variar entre marcar e fazer movimentos ondulatórios como camelos e oitos. Se ele aparecer com melodias, alterne entre segui-lo ou deixar-se levar pela música em si. A interpretação vai de acordo com a música inteira e não o ritmo puro, já que ele pode aparecer em diversas canções.

Veja + Ritmos aqui

Jerk

19 jul

É muito difícil encontrar a origem do ritmo jerk, também conhecido como jark ou sherk. Se você souber, comente abaixo para aprendermos mais sobre esse ritmo que tem a estrutura familiar ao samba brasileiro.

Composição
É um ritmo de compasso 4/4 com três DUM e dois TA. Fica assim: DUM TA DUMDUM TA.

Características
É muito comum encontrar o jerk em músicas modernas, mas nada impede que a gente o escute em algumas clássicas e até mesmo em músicas populares. Costuma também ser tocado em solos de derbake com o ritmo puro, como demonstrado acima, ou floreado: DUM KAKATA TAKA DUM DUM TAKATA TAKA, o que pode modificar a velocidade dele para permanecer um ritmo 4/4.

Como treinar
Este ritmo pode ser tocado com snujs enquanto a bailarina dança. O DUM pode ser tocado com as duas mãos para que o som saia com mais intensidade ou com a mão direita. Pode ser a esquerda, se preferir. Depois, só tocar com a outra mão os TA. O jerk floreado costuma ser tocado pelos derbakistas, quase nunca por nós, bailarinas, tamanha a sua velocidade.

Dica de passos
O jerk apresenta característica de músicas pop, mesmo aparecendo em arranjos clássicos, mas quando é tocado é legal explorar movimentos modernos e mesclar com passos tradicionais. Uma dica é brincar com o básico egípcio sem ser da forma tradicional, parada e batendo o quadril com uma das pernas levemente colocada na frente da outra. Brinque com batidas para os lados, frente e trás, sendo que o seu pé acompanha a direção do quadril. Se preferir, use os passos para se deslocar enquando dança. Movimentos do jazz são bastante incorporados a este ritmo e, se você souber, dá até para sambar. Você pode marcar o ritmo inteiro, ou só os DUM ou TAs, com ombros, peito, cabeça etc., mas também é possível brincar com ondulações. Tudo depende da sua inspiração.

Selecionamos uma faixa do CD Jalilah’s Raks Sharki Vol 4 para mostrar o ritmo floreado e como ele aparece em duas músicas clássicas.

Veja + Ritmos
Maksoum
Bolero
Malfuf
Baladi
Ayub
Said

%d blogueiros gostam disto: