Tag Archives: folclórica

Soudi

23 ago

O Soudi é um ritmo da região do Golfo Pérsico, em especial da Arábia Saudita. Também conhecido como Aadany, o nome original Saudi remete ao país e ao grupo Al-Saud. É possível encontrá-lo no Bahrain, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Qatar, Oman e Yemen.

Características
O Soudi é um dos ritmos mais conhecidos da dança chamada Khaleege (khaleegy, khaliji, kalige).

Esta dança folclórica sofreu uma distorção quando chegou ao Brasil. Na época, o ritmo que trouxeram e os passos não correspondiam ao que era chamado de Khaleege.

Se você encontrar, por exemplo, uma bailarina fazendo gestos e colocando o pulso na testa, no peito, fazendo movimentos com as mãos nos braços, como se estivesse se limpando ou livrando de algo pense duas vezes. Na verdade, esta é apenas a representação de uma música e não são passos básicos do Khaleege. Mas esta história será melhor explicada em um outro post.

Composição
O ritmo é bem simples e curto, em compassso 2/4. Pode ser tocado de forma acelerada ou lenta. Conforme a região pode apresentar outra forma, mas sempre apresenta acentos fortes nos DUMs, enfatizando a dança Khaleege. Sua formação básica é DUM KA DUM KA ou DUM TA DUM TAKATA. Na nossa pesquisa, também encontramos outras variações, tais como:

DUM KA KA DUM KA KA TA KA

DUM KA KA DUM KAKA TA KA

DUM KA DUM KATAKA

Como treinar
Assim como o ritmo da semana passada, você dificilmente irá se apresentar com snujs e tocando o Soudi. Treine com o mesmo modelo de sempre. Bata o DUM com a mão direita ou com ambas as mãos, o TA com a esquerda e o KA, com a direita. Ou inverta, se você for canhota.

Dicas de passos
O passo mais comum de ser encontrado em uma música com o ritmo Soudi é o básico do Khaleege. Coloque o peso sobre a perna da frente e balance o corpo com o pé de trás na meia ponta, como se fosse um manquinho. Lembre-se de fazer fortes marcações nos DUMs e leves nos TAs. Especificamente no Khaleege você também pode balançar os cabelos de um lado para o outro.

Faixa retirada do CD Jalilah Raks Sharki Vol.4

Veja + Ritmos
Wahda wa noz
Chiftetelli

Falahi
Masmoudi
Jerk
Maksoum
Bolero
Malfuf
Baladi
Ayub
Said

Mijwiz

3 ago
Este é outro instrumento de sopro muito utilizado na música árabe. Aliás, dizem que é um dos mais antigos e é orginário do Egito. A aparência é de uma flauta doce ou flauta pan, daquelas que os bolivianos também tocam.

Diferente do mizmar, é formado por dois tubos de bambu presos por um fio de cera ou alcatrão. O próprio nome já deixa clara esta característica, já que a tradução significa duplo ou casal. Cada tubo possui seis furos, com os quais é possível obter sete tons.

O som obtido com o método chamado de respiração circular, colocando sua palheta simples na boca, é contínuo e agudo. Um tubo menor, localizado dentro de cada um dos outros, vibra e produz o som em uníssono que conhecemos. Também é chamado de mijuêz, mjurêz, mjwez, mejwez e mijuiz.

É comum no Líbano, Palestina e Síria e é usado principalmente em festas, casamentos, apresentações folclóricas e rodas de dabke. No canal do Cadernos no Youtube selecionamos um vídeo para você conhecer um solo deste instrumento. Abaixo, confira a música Jeeb el Mejwez, um dabke tradicional libanês.

Veja + Instrumentos
Kanoon
Alaúde
Derbake, tabla ou doumbek
Rababa
Mizmar
Snujs

O brilho das roupas

13 jul
Roupa sem cinturão

Roupa moderna: sem cinturão

Quem nunca parou para observar uma roupa e esqueceu de reparar, nem que sejam por alguns segundos, na técnica da bailarina que atire a primeira pedra!

As roupas na dança do ventre, além de encantadoras, são fundamentais, pois cada modalidade exige um tipo de vestimenta diferente que a caracterize. Por exemplo, as danças folclóricas pedem vestidos fechados e o Khalige não existe sem a galabia.

Saia com franjas

Saia com franjas

O modelo mais comum é o trio saia, cinturão e top. Porém, escolher uma destas não é tão fácil quanto parece. Para começar, você precisa definir uma cor. Vermelho, preto, azul, verde, lilás, rosa, branco, laranja, amarelo…Você pode escolher a sua cor preferida, qual cai melhor com o seu tom de pele e até mesmo pelos significados que as cores têm.

As saias podem ter diversos modelos: terra, água, fogo, ar, sereia, mais rodada, com pouco tecido, com ou sem fendas. O importante é que não sejam longas ou curtas. Dançar com os pés e canela expostos não é elegante e pisar na saia durante a apresentação desconcentra a bailarina.

Outro detalhe: algumas pessoas preferem as saias apenas com bordados e pedrarias. As mais modernas são assim. Quem opta pelo cinturão pode abusar (ou não) das franjas. O mesmo vale para o top. Também fica a gosto da bailarina.

Roupas caras

Modelos exclusivos com detalhes em strass

Uma roupa de dança deste modelo varia, em média, de 200 a 700 reais, dependendo dos detalhes e acabamentos. Quando você for comprar a sua primeira roupa, tome cuidado para não ser enganada pelas chamadas fantasias, que abusam das lantejoulas e ignoram a qualidade do acabamento.

Você mesma também pode fazer a sua roupa, se tiver dotes de costureira. Aqui neste site tem um passo a passo bem bacana. Se preferir, você pode fazer rascunhos de roupas e escolher os modelos de saias, tops e adereços que mais gosta. É divertido e ajuda a ter ideias para diferentes modelos.

O mais importante é que a roupa trasmita a sua personalidade, nada de comprar ou mandar fazer um modelo igual só porque tem muita bailarina usando. De resto, faça a sua escolha de modo a ficar confortável.  Fique de olho, nos próximos post sobre roupas, vamos mostrar alguns modelos de saias e exemplos de acessórios.

Veja + Dicas aqui

 

%d blogueiros gostam disto: