Tag Archives: camelo

Videoteca: Alf Leyla wa Leyla

11 fev

Podemos arriscar e dizer que a música Alf Leyla wa Leyla, de Oum Kahtoum, é uma das mais escolhidas para dançar um clássico de dança do ventre.  Seja por sua estrutura simples, pela beleza dos arranjos ou pela variedade de edições possíveis, digitar este nome no youtube é ver que tem muita gente, de amadora a profissional que adora esta música.

Por isso, escolhemos falar dela para seguir o post da semana passada: uma música, várias interpretações. Mas notem que a música pode aparecer com diferentes edições em cada vídeo.

No primeiro, vemos a argentina Saida. A banda é maestrada por Mario Kirlis e esta bailarina optou por iniciar sua dança já no início do palco.

Sua dança começa mais contida, com pequenos toques árabes e tremidinhos.  Os giros aparecem, mas a dança está bem centrada no palco. Básico egípcio é o passo mais usado pela Saida nesta apresentação.

A canadense Aziza (que já apareceu em nossa videoteca) também começa a dançar já no palco. A versáo da música é em cd. Ela marca mais as nuâncias da música e intercala muito quadril e peito.Sua dança é menos marcada que a da Saida.

A americana Nasila dança com banda ao vivo. Mas ao contrário de Saida, o instrumento que predomina em Alf wa Leyla wa Leyla náo é o derbake, mas sim o violino. Por isso, movimentos ondulatórios imperam nesta apresentação.

Para finalizar este post, escolhemos o vídeo da bailarina Maiada e suas alunas dançando esta música. Aqui o que mais chama a atenção é o efeito de um grupo dançando, com  alguns intervalos de destaque à professora.

Dança com cobra

8 set

A cobra era considerada sagrada no Egito Antigo e tida como um símbolo complexo que representa tanto o masculino quanto o feminino já que dificilmente sabemos o sexo deste réptil.

Em algumas mitologias, a cobra ou a serpente significa energia e consicência imortal e já foi ligada à representação das deusas Isis, Istha, Inana e Deméter. Para fazer a adoração aos deuses, as sacerdotisas dançavam com metais e ouro talhados em formato de cobras, nunca o animal de verdade.

Mas, atualmente é comum encontrar bailarinas corajosas que dançam com cobra reais. Alguns consideram isto um ato circense, outros acreditam que a dança fica ainda mais sensual, mas de qualquer forma, alguns cuidados devem ser tomados.

Primeiro não fique achando que qualquer cobra serve para ser seu acessório durante uma apresentação. Escolha as não-venenosas, claro, e as mais calmas. Saiba que há pessoas que criam esse animais justamente para isso. Procure por eles, se te interessa. Se preferir, crie a sua própia cobra, mas não antes de conversar com Ibama e criadores para você não fazer besteira.

Mantenha o animal bem alimentado e tranquilo para que ele não fique muito estressado quando for dançar. Evite luzes fortes e música muito alta e cuidado ao dançar em meio a multidão. O grande segredo para dançar com a cobra, é manter a calma.

Dizem que se você confia nela, ela confia em você. Na prática isso significa que ela não vai te apertar se você a colocar enrolada em seu corpo e manter a confiança.

Saiba que ela pode sair andando pelo seu corpo, por isso, use uma roupa sem muita pedraria para não machucar a serpente. Quando for pegá-la para colocar em diversas partes do corpo, fique atenta. Pegue no primeiro terço do corpo dela e no terço final para que ela não tenha apoio para dar o bote se sentir ameaçada.

Você pode fazer vários movimentos com ela. Coloque-a em volta do pescoço segurando a cabeça com uma das mãos e brinque com os braços serpentes. Se ela estiver enrolada no seu quadril, aproveite para fazer oitos, camelos…tudo muito suave para não assustá-la.  Você pode amarrá-la no seu braço e fazer o movimento flor de lótus e, enfim, vai da criatividade e da segurança com a cobra.

Para ilustrar este post, escolhemos a apresentação da professora e bailarina de dança do ventre Zohara el Shaddai em comemoração a um ano da escola Luxor de Dança do Ventre da unidade Penha. Ela dançou acompanhada pelo cantor Shaker Akiki em 5 de setembro de 2010. Prepare-se para uma grande surpresa.

Veja + acessórios de dança aqui

Videoteca – Sadie (Dissociação corporal)

23 jul

Uma das grandes dúvidas da maioria de nós alunas quando iniciamos na dança do ventre é saber se seremos capazes de fazer como a Sadie (em breve biografia no Cadernos): dissociar o corpo. Parece difícil e às vezes chegamos a acreditar que não iremos conseguir. Mas com treino e dedicação, tudo é possível.

Quem quer mostrar que domina cada movimento do corpo geralmente escolhe um derbake ou se aventura pelo tribal, mas saiba que você pode treinar com todos os estilos. Aproveite o vídeo para observar alguns dos movimentos que esta encatadora bailarina americana faz com a maior naturalidade os tremidinhos, camelos abdominais, marcação com peito dentre outros passos.

Veja + videoteca
Amir Thaleb (homens na dança do ventre)
Sonia (derbake)
Romina (improvisação)
O que destacar da música na hora de dançar
Saida (baladi)
Coreografia em grupo
Jillina (pop)

%d blogueiros gostam disto: