Tag Archives: bustiê

Alika

30 set

Neste vídeo, vemos a espanhola Alika dançando taqsim (em breve no blog) e o ritmo baladi na Espanha, em 2005, durante o BellySurdance.

Alika iniciou seus estudos na dança clássica com apenas três anos de idade. Foram anos nesta modalidade e também foi dançando flamenco que esta bailarina se interessou pelas danças de diversas culturas. A paixão pela dança do ventre foi imediata e logo aprendeu com grandes nomes como Fadua Chuffi, Lenna Beaty e Samara Hayat.

Não demorou muito para viajar ao Egito e conhecer a mestra Raqia Hassan. Logo após foi para Buenos Aires na Argentina, onde treinou com Amir Thaleb, Sarata, Maiada e Saida. Sem contar as aulas particulares com Jilina, Aziza e Randa Khamel. Já deu para entender que Alika captou diversos estilos e criou o seu próprio, certo? Vimos um vídeo desta bailarina aqui no blog quando falamos de giros na nossa videoteca. Alika trabalha o giro Sufi (relembre aqui) e também com o estilo clássico da dança do ventre.

Atualmente, Alika estuda as fusões da dança do ventre como o tango e flamenco e é mestra da casa de dança “Alika Danza“, a primeira escola espanhola especializada em Andalucia. Desde maio de 2004 cria, dirige e produz o festival internacional de dança oriental chamado BellySurdance.

Ela divide todo o seu aprendizado em workshops e seminários pela Espanha, México, Argentina e Brasil e já participou de festivais internacionais como Etnosur’04 e Etnosur’07; o World Music da Europa; X Encontro Internacional de Danças Árabes de 2008, realizado em Buenos Aires e veio ao Brasil em 2009 para o X Festival Internacional Luxor, em São Paulo.

Alika é bem tradicional na hora de se vestir para suas apresentações. Roupa de duas peças com cinturão carregado e bustiê com franjas são sua marca registrada quando vai dançar música clássica ou derbake. Geralmente, é de uma cor só, como dourado e lilás, e seus cabelos vermelhos costumam ficar soltos para dar graça aos movimentos que faz com a cabeça, típicos do zaar. Falando em movimentos, eles são bem grandes.

Alguns dizem que são exagerados, mas nota-se a característica comum das argentinas e algumas bailarinas espanholas quando Alika dança. Elas conseguem ocupar todo o palco e parecem ter mais de dois metros de altura justamente porque mantém a postura perfeita e fazem os movimentos de braços e ondulatórios bem grandes para que todos possam ver. Suas batidas são bem marcadas e a expressão é mais neutra, coisa que os egípcios não gostam muito.

No vídeo acima, vimos Alika na dança árabe clássica, agora confira o derbake da espanhola apresentado em 2008 no México.

Veja + Bailarinas aqui

O brilho das roupas

13 jul
Roupa sem cinturão

Roupa moderna: sem cinturão

Quem nunca parou para observar uma roupa e esqueceu de reparar, nem que sejam por alguns segundos, na técnica da bailarina que atire a primeira pedra!

As roupas na dança do ventre, além de encantadoras, são fundamentais, pois cada modalidade exige um tipo de vestimenta diferente que a caracterize. Por exemplo, as danças folclóricas pedem vestidos fechados e o Khalige não existe sem a galabia.

Saia com franjas

Saia com franjas

O modelo mais comum é o trio saia, cinturão e top. Porém, escolher uma destas não é tão fácil quanto parece. Para começar, você precisa definir uma cor. Vermelho, preto, azul, verde, lilás, rosa, branco, laranja, amarelo…Você pode escolher a sua cor preferida, qual cai melhor com o seu tom de pele e até mesmo pelos significados que as cores têm.

As saias podem ter diversos modelos: terra, água, fogo, ar, sereia, mais rodada, com pouco tecido, com ou sem fendas. O importante é que não sejam longas ou curtas. Dançar com os pés e canela expostos não é elegante e pisar na saia durante a apresentação desconcentra a bailarina.

Outro detalhe: algumas pessoas preferem as saias apenas com bordados e pedrarias. As mais modernas são assim. Quem opta pelo cinturão pode abusar (ou não) das franjas. O mesmo vale para o top. Também fica a gosto da bailarina.

Roupas caras

Modelos exclusivos com detalhes em strass

Uma roupa de dança deste modelo varia, em média, de 200 a 700 reais, dependendo dos detalhes e acabamentos. Quando você for comprar a sua primeira roupa, tome cuidado para não ser enganada pelas chamadas fantasias, que abusam das lantejoulas e ignoram a qualidade do acabamento.

Você mesma também pode fazer a sua roupa, se tiver dotes de costureira. Aqui neste site tem um passo a passo bem bacana. Se preferir, você pode fazer rascunhos de roupas e escolher os modelos de saias, tops e adereços que mais gosta. É divertido e ajuda a ter ideias para diferentes modelos.

O mais importante é que a roupa trasmita a sua personalidade, nada de comprar ou mandar fazer um modelo igual só porque tem muita bailarina usando. De resto, faça a sua escolha de modo a ficar confortável.  Fique de olho, nos próximos post sobre roupas, vamos mostrar alguns modelos de saias e exemplos de acessórios.

Veja + Dicas aqui

 

Petite Jamilla

24 jun


Falar que Petite Jamilla é a rainha dos dois véus não é pretensão já que esta modalidade é a especialidade desta bailarina que já lançou diversos dvds instrutivos sobre o assunto.

Filha de Jamilla Rasa, bailarina que uniu o folclore à dança moderna, ela resolveu adotar o nome Petite, pequena em francês, em homenagem à sua mãe.

A influência maternal fez com que esta americana iniciasse na dança desde cedo e o seu desenvolvimento foi tão grande que aos 19 anos já tinha lançado dois dvds instrutivos.

Em 2003, participou como bailarina convidada do  Bellydance Superstars. Um ano depois, integrou ao grupo como bailarina “de fundo”, mas não demorou muito para ganhar seu lugar como solista.

Suas apresentações geralmente envolvem dança com dois véus e muitos, MUITOS mesmo, giros. A sua postura é delicada e os movimentos grandes que faz dão a impressão que os véus fazem parte do seu corpo, tamanha a graciosidade. Quando dança sem eles, mantém a grandiosidade nos movimentos e destaca as marcações em seu quadril e abdôme.

No figurino, tem estilo próprio. Calças à  la “aladdin” com saia por cima e cinturões com poucas moedas ajudam no efeito dos giros e emolduram  os véus. No busto, ela carrega um pouco, mas nada de ficar com miçangas penduradas cobrindo a barriga.  Cabelos sempre soltos para acompanhar seu movimentos.

Hoje em dia ela viaja o mundo ministrando workshops e é capa de vários dvds de show, inclusive do grupo Bellydance Superstars.  Falando nisso, separamos dois vídeos desta bailarina dançando em shows do grupo. O de cima é a tradicional dança dos dois véus embalado por uma música moderna, faz parte do dvd “Live From Paris”, e embaixo, um trecho de tirar o fôlego: ela dança com 04  véus. Se quiser assistir inteiro, basta ver Bellydance Superstars “Babelesque”.

Veja + Bailarinas
Soraia Zaied
Fifi Abdo

%d blogueiros gostam disto: