Tag Archives: asa de anjo

Véu Wings

25 ago

Neste vídeo, vemos a bailarina Amar Gamal dançando com o véu wings. Infelizmente, não há muita pesquisa a respeito da origem deste véu na dança do ventre. Alguns dizem que é uma adaptação das imagens e rituais da Deusa Ísis, sendo que ela teria se transformado em uma ave para cantar suas lamentações. Outros falam que foram as americanas que introduziram este acessório em formato de asa para chamar a atenção do público.

Independente das especulações, sabe-se que este acessório está na moda. Muitas bailarinas, famosas ou não, usam o véu wings em suas apresentações. Ele também é chamado de véu borboleta e asas de anjo (Isis Wings, Alas de angeles…) por causa do formato em asas e pode ter várias cores e feito em diversos tecidos. Esse dafoto abaixo, por exemplo, foi confeccionado pela Rose, dona do Rose dos Véus Studio de Dança, e equipe, em seda.

No início, eram plissados e de uma cor só, mas hoje costumam ser coloridos, fruta cor e até de seda. Pode até ter só um lado da asa. Na hora de escolher, vai personalidade de cada bailarina. Existe um tamanho padrão de 3 metros para cada asa e uma altura de 1,50 m, mas você pode ir em ateliês e fazer um sob medida.

Eram muito caros quando ficaram famosos, mas hoje estão com o preço mais conta em razão da quantidade de pessoas que produzem esses véus. Existem dois modelos básicos: egípcio e argentino. O primeiro possui um velcro que você prende no pescoço, limitando o uso do véu como borboleta.

O argentino não tem isso, é uma faixa mais comprida, e assim é possível brincar com o véu de diversas maneiras: você pode colocá-lo no pescoço, cintura e fazer todos os movimentos que costuma realizar com um véu normal como helicóptero, asa de anjo, leque…além de outros tipos de giros.

Dançar com o véu wings parece fácil, mas engana-se quem pensa assim. Você precisa ter domínio dos movimentos, por isso, não fique achando que este ornamento vai esconder a sua dança.

Sem contar que uma ótima postura e força nos braços são fundamentais para que os passos saiam bem executados ao mesmo tempo que leves.

Geralmente, as bailarinas escolhem músicas modernas, com batidas fortes e usam o véu como entrada de um show. A argentina Angeles criou uma coreografia para lá de moderna na qual ela não larga o véu de jeito nenhum. É uma dança que exalta este acessório, a flexibilidade e a habilidade da bailarina.

Para quem gosta de algo mais clássico, dá para dançar uma música mais lenta, basta manter o tom de mistério. Mas na maioria das vezes ele é usado em entradas para chocar o público e passar a impressão de que a bailarina voa pelo palco.

Viu alguma apresentação com wings e achou maravilhosa? Coloque o link nos comentários para a gente ver!

Veja + Acessórios de dança aqui

O véu na dança do ventre

9 jun

São muitas as explicações para o uso do véu na dança do ventre. Em árabe é chamado de Hijab, que significa algo que separa duas coisas. Levando para o lado místico, o véu é o conhecimento oculto ou relevado e esta mudança de significado depende se ele está sendo usado ou retirado durante uma apresentação. É exatamente por isso que ele é tão encantador.

É comum algumas bailarinas, principalmente as iniciantes, começarem a se apresentar com o véu. É uma maneira de elas se sentirem mais seguras e irem se revelando aos poucos da mesma forma que o público cria expectativa por sua revelação. Além disso, ele pode dar grandes efeitos a alguns movimentos e até disfarçar truques e tropeços.

Há movimentos que são próprios do véu como tufão, asa de anjo, tenda, bandeja, noiva, encharpe…enfim..são tantas maneiras de dançar que não existe fórmula fechada. Tudo depende da criatividade e treino da bailarina. O treino é muito importante, principalmente se for fazer malabarismos e movimentos complicados.

O público consegue perceber quando o véu faz parte da bailarina ainda mais quando ela brinca com ele para demonstrar leveza e delicadeza. Mas de nada adianta se não houver uma boa postura e braços alongados. Uma dica é não usar roupas com apetrechos que possam prender o véu durante a apresentação. Cuidado com véus que já tenham miçangas, eles são mais pesados, podem enroscar e ainda machucar você.

Assista ao vídeo com a apresentação da bailarina Lulu Sabongi (breve biografia dela aqui no Cadernos). Ela inicia a coreografia e só depois pega o véu para dançar.

Originalmente, os véus foram introduzidos na dança do ventre pelas bailarinas russas, mas logo foram aprimorados pelas ocidentais, em especial as americanas. Dificilmente vemos uma egípcia usando um. O tecido pode ser vual, organza, creep e até seda pura. Tudo depende de quanto você pode gastar e do efeito que deseja produzir. De uma cor só, coloridos, estampados, manchados..  vai do gosto e da personalidade da bailarina. Para saber o tamanho é fácil: abra os braços. O véu deve ter o comprimentos dos seus braços abertos mais três dedos de cada lado e para a altura, basta medir do nariz até o meio da canela.

Veja + Acessórios aqui

%d blogueiros gostam disto: