Tag Archives: amar gamal

Retrospectiva: Bailarinas

31 dez

Foram 27 divas da dança, que você pode amar, se descabelar quando vai no workshop, babar no teclado vendo vídeos no Youtube. Ou simplesmente achar a roupa vulgar, as carinhas exageradamente sofridas ou achar que as suas colegas de escola dançam muito mais.

Não importa o motivo, sempre temos algo a aprender com essas mulheres que fazem a história da dança do ventre. Do Brasil, duas participantes: Lulu SabongiSoraia Zaied.

Do grande time internacional e com mais tempo de carreira Azza SharifTahia CariocaSouhair Zaki, Samia Gamal, Nagwa FouadNaima AkefNadia GamalFifi AbdoFarida Fahmy. Também de terras orientais, as famosas Raqia HassanRanda KamelMona El SaidDinaAsmahan.

A América do Norte veio representada pelas representantes do grupo mais famoso de dança do ventre, o Bellydancer Superstars, Amar GamalAnsuyaPetite JamillaRachel BriceSonia e, claro, Jillina.

A onda latina chegou da Europa e da América do Sul com a espanhola Alika, a venezuelana Samira Hayek e as argentinas Angeles CayunaoRomina Maluf e Saida.

Em 2011 queremos divulgar a dança de outros países em mais biografadas. Aguardem!

Hip hop e dança do ventre

15 dez

Uma das fusões mais modernas com a dança do ventre e que remonta ao final dos anos 90 e início dos anos 2000 é a modalidade com hip hop, também chamada de “belly hop”. Achou interessante?

Saiba que antes de começar a se arriscar, você precisa de um bom preparo físico, em especial de alongamento das articulações e músculos dos membros superiores, muito utilizados em ondulações de mãos, braços e círculos de peitoral. Além disso, você deve ter conhecimentos consolidados sobre as duas modalidades.

É o caso da professora e bailarina Nalu D’Alessandro. “Sempre gostei de dançar, independente do tipo de dança. E como eu já tinha feito hip hop, fiz esta fusão.” Ela contou que fez tanto sucesso que foi convidada para ministrar workshops.

Em geral, nesta fusão são usadas músicas modernas, pop ou do próprio tribal. O vestuário também complementa. “Não há um padrão, já que é muito recente”, afirma a bailarina mineira, que já usou calças com cintos de metal, top de moeda, luvas e pulseiras de metal em suas apresentações.

São característicos os “passos ondulatórios como, por exemplo, o camelo, o reverso (camelo invertido ou egípcio)”, típicos da dança do ventre. Aqui, as semelhanças com outro estilo de fusão, o tribal, ficam ainda maiores. Já as paradinhas, ou “breaks” do hip hop também são usados aqui para marcar o ritmo com o corpo. O trabalho dos pés escorregadios no estilo “Moonwaker”, imortalizado por Michael Jackson também são usados.

A bailarina Anasma afirma em sua série de vídeos didáticos que ambas as danças compartilham do isolamento das partes do corpo e que isso é usado para que elas se comuniquem de forma orgânica.

É comum vermos performances que misturam tanto a música quanto os passos. Em outras utiliza-se a música típica do hip hop com movimentos da dança do ventre. Já algumas bailarinas fazem o oposto e capricham na dança do ventre enquanto o Beat Box rola solto ao vivo. Quer um exemplo, entre no YouTube e confira.

**Colaborou com este post: Nalu D’Alessandro – Profissionalizou-se na dança do ventre em 2007. Fez cursos e workshops com profissionais nacionais e internacionais, dentre eles: Romina Maluf (Argentina), Amar Gamal (EUA) e Kaeshi Chai (EUA). Desde 2008, integra a Cia Kalua Fusion. Atualmente ministra aulas na Escola de Danças Nanda Najla – Ventre e Fusão e faz faculdade de terapia ocupacional.

Veja + Fusões aqui

Véu Wings

25 ago

Neste vídeo, vemos a bailarina Amar Gamal dançando com o véu wings. Infelizmente, não há muita pesquisa a respeito da origem deste véu na dança do ventre. Alguns dizem que é uma adaptação das imagens e rituais da Deusa Ísis, sendo que ela teria se transformado em uma ave para cantar suas lamentações. Outros falam que foram as americanas que introduziram este acessório em formato de asa para chamar a atenção do público.

Independente das especulações, sabe-se que este acessório está na moda. Muitas bailarinas, famosas ou não, usam o véu wings em suas apresentações. Ele também é chamado de véu borboleta e asas de anjo (Isis Wings, Alas de angeles…) por causa do formato em asas e pode ter várias cores e feito em diversos tecidos. Esse dafoto abaixo, por exemplo, foi confeccionado pela Rose, dona do Rose dos Véus Studio de Dança, e equipe, em seda.

No início, eram plissados e de uma cor só, mas hoje costumam ser coloridos, fruta cor e até de seda. Pode até ter só um lado da asa. Na hora de escolher, vai personalidade de cada bailarina. Existe um tamanho padrão de 3 metros para cada asa e uma altura de 1,50 m, mas você pode ir em ateliês e fazer um sob medida.

Eram muito caros quando ficaram famosos, mas hoje estão com o preço mais conta em razão da quantidade de pessoas que produzem esses véus. Existem dois modelos básicos: egípcio e argentino. O primeiro possui um velcro que você prende no pescoço, limitando o uso do véu como borboleta.

O argentino não tem isso, é uma faixa mais comprida, e assim é possível brincar com o véu de diversas maneiras: você pode colocá-lo no pescoço, cintura e fazer todos os movimentos que costuma realizar com um véu normal como helicóptero, asa de anjo, leque…além de outros tipos de giros.

Dançar com o véu wings parece fácil, mas engana-se quem pensa assim. Você precisa ter domínio dos movimentos, por isso, não fique achando que este ornamento vai esconder a sua dança.

Sem contar que uma ótima postura e força nos braços são fundamentais para que os passos saiam bem executados ao mesmo tempo que leves.

Geralmente, as bailarinas escolhem músicas modernas, com batidas fortes e usam o véu como entrada de um show. A argentina Angeles criou uma coreografia para lá de moderna na qual ela não larga o véu de jeito nenhum. É uma dança que exalta este acessório, a flexibilidade e a habilidade da bailarina.

Para quem gosta de algo mais clássico, dá para dançar uma música mais lenta, basta manter o tom de mistério. Mas na maioria das vezes ele é usado em entradas para chocar o público e passar a impressão de que a bailarina voa pelo palco.

Viu alguma apresentação com wings e achou maravilhosa? Coloque o link nos comentários para a gente ver!

Veja + Acessórios de dança aqui

%d blogueiros gostam disto: