Arquivo | maio, 2011

Antonella Rodrigues

19 maio

A biografada de hoje é uma bailarina menos conhecida por aqui, mas que também é um sucesso. A argentina Antonella é mais uma filha do estilo argentino de dançar, mas consegue aliar a isso a sua própria personalidade – que é um dos grandes segredos de uma boa bailarina.

Antonella Rodrigues começou a dançar em 2004, fazendo aulas com Aziza Román. Cerca de quatro anos depois entrou para a escola da Saida, onde teve oportunidade de fazer parte do corpo de baile Rakkasah. Em 2008, também se formou como professora. Acha pouco?

No ano seguinte, mais uma conquista. Ingressou como professora na escola de Yamil Annum. Atualmente, acompanha o maestro Mario Kirlis e orquestra, fazendo turnês mundiais e em gravações de DVDs instrutivos. Falando nisso, no website da bailrina está prevista uma turnê no Brasil que começa no dia 20 de maio, amanhã!

Suas performances são expressivas. Do balé e do estilo dançado na Argentina, incorporou a postura alongada, arabesques e cambrês. Mas você pode notar que a interpretação de Antonella não acaba por aí. Uma de suas marcas é que ela também interage com o público, fazendo uma dança menos voltada para si e para a dança e mais para a plateia. Há quem ache isso bom e há quem não goste.
E você o que acha?

Veja + Bailarinas aqui

Videoteca: FatChanceBellydance (tribal improvisado)

13 maio

Essa é pra matar as saudades, afinal, já faz um tempinho que estudamos tribal por aqui!

Para ilustrar a videoteca de hoje selecionamos um vídeo do grupo FatChanceBellydance (também pode ser escrito assim mesmo, sem espaços), fundado pela norte-americana Carolena Nericcio. Ela é uma das responsáveis pelo que ficou mundialmente conhecido como ATS – American Tribal Style Belly Dance.

Como você pode ver, os movimentos são muito ricos, combinando elementos de diversas manifestações culturais. O movimento das mãos por exemplo, carrega herança do flamenco e da dança indiana. Esta última por sua vez, também influencia muito no figurino, com adereços, pinturas e vestimentas que lembram muito as utilizadas na Índia e região do Norte da África.  Braços bem altos, cotovelos angulosos, mãos em constante movimentação e cambrês são algumas características desta modalidade, mas isso você já sabe.

A principal característica do ATS é a coreografia improvisada. Pois é, elas dançam com um vocabulário de passos comum, digamos assim. E em uma brincadeira de “siga o mestre” há uma indicação de qual será o passo seguinte e, com esta comunicação puramente corporal, há uma performance praticamente coreografada.

Sucesso, não?

Veja + Videoteca aqui
Veja +Fusões aqui

Videoteca: Salsa

6 maio

A nossa videoteca de hoje é para ir entrando no clima da fusão da dança do ventre com a salsa, que abordaremos em breve por aqui.

O grupo é da bailarina Hadara Nur e apresenta esta fusão já nas roupas com um mix da salsa (saia curtinha e mangas) com a dança do ventre (parte da saia atrás mais comprida). Os passos também vão por este caminho, alguns típicos da salsa, mas com bastantes movimentos da dança do ventre.

Veja + Videoteca aqui

%d blogueiros gostam disto: